Dois presos morrem com suspeita de meningite no Rio de Janeiro

 

Dois presos morreram, com suspeita de meningite bacteriana na Cadeia Pública Paulo Roberto Rocha, no Rio de Janeiro, que faz parte do Complexo Penitenciário de Bangu. Com o caso, foram tomadas medidas de emergência no local, que recebe 1.750 detentos.

 

Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), todos os presos, assim como os funcionários que tiveram contato com eles, estão recebendo medicação profilática para a meningite. Além disso, todas as visitas e saídas de internos foram suspensas temporariamente. Outros dez presos foram isolados.

 

A doença

 

A meningite bacteriana é mais perigosa e causa mais mortes que a viral. A doença propaga-se pelas vias aéreas, como nariz e boca, e necessita de tratamento imediato com antibiótico. Em ambientes como o prisional, onde há grande número de pessoas em espaços reduzidos e pouco ventilados, a doença pode se alastrar com maior facilidade, o que demanda ações emergenciais de combate.

 

Seap divulga nota

 

A Seap divulgou uma nota sobre o assunto:

 

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) informa que vem acompanhando desde o dia 8, dois casos suspeitos de meningite bacteriana causando a morte de dois internos da unidade Paulo Roberto Rocha, no Complexo de Gericinó. Foram coletadas amostras e estão sendo aguardados resultados de exames. A Seap, através de sua coordenação de saúde com o apoio Secretaria de Estado de Saúde e da Secretaria Municipal de Saúde, já está tomando todas as providências cabíveis. Os 1.750 internos da unidade, assim como os servidores que tiveram contatos com os presos estão recebendo quimioprofilaxia. Visitas e qualquer saída de presos da unidade foram suspensas temporariamente em caráter emergencial. Dez presos foram isolados para que sejam feitas coletas de sangue na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Gericinó.