Danilo Gentili é condenado a seis meses de prisão por injúria, e recebe apoio de Bolsonaro

 

O humorista e apresentador brasileiro Danilo Gentili, foi condenado a seis meses e 28 dias de prisão em regime semiaberto, pela 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo, por crime de injúria contra a deputada federal Maria do Rosário (PT). Ele poderá recorrer em liberdade

O caso ocorreu em março de 2016, quando Gentili publicou um vídeo de Maria do Rosário. De acordo com a juíza, ele injuriou a deputada “ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro, atribuindo-lhe alcunha ofensiva, bem como expôs, em tom de deboche, a imagem dos servidores públicos federais e a Câmara dos Deputados”.

Na gravação, o comediante reagia ao recebimento de uma notificação extrajudicial que pedia a ele que apagasse posts no Twitter considerados ofensivos pela petista. Em resposta, o apresentador associou a deputada ao termo “puta”, rasgou o documento em várias partes, esfregou os pedaços dentro da calça e anunciou que os mandaria de volta para a Câmara. Maria do Rosário requereu a condenação dele por injúria, e a juíza federal Maria Isabel do Prado concordou na quarta (10).

O apresentador fez um pronunciamento oficial: “Ao público, aos amigos e aos jornalistas, comediantes e artistas que após a minha condenação à prisão manifestaram apoio à liberdade de expressão: muito obrigado! Nunca esquecerei disso. Aos comediantes e artistas que pedem liberdade para político criminoso e chilicam contra uma possível repressão num possível futuro, mas que estão bem quietinhos agora: muito obrigado também por provarem que o meu ponto de vista é verdadeiro”.

 

Em defesa de Gentili

 

Até o presidente Jair Bolsonaro saiu em defesa de Gentili no caso contra Maria do Rosario

 

O presidente Jair Bolsonaro, desafeto de Maria do Rosário, chegou a manifestar apoio ao humorista através do Twitter. “Me solidarizo com o apresentador e comediante Danilo Gentili ao exercer seu direito de livre expressão e sua profissão, da qual, por vezes, eu mesmo sou alvo, mas compreendo que são piadas e faz parte do jogo, algo que infelizmente vale para uns e não para outros.”

Em resposta, o apresentador se disse honrado e que nunca havia imaginado ser condenado por protestar contra a censura ou receber apoio presidencial. “Também fico aliviado por entender que esse post significa um registro do compromisso do governo com a liberdade de expressão”, acrescentou Gentili.

Além do presidente, outros comediantes saíram em defesa de Gentili. “Acho que o vídeo do Danilo é de péssimo gosto, agressivo, desrespeitoso, infantil, sem graça, equivocado… Mas daí a ele ser preso por mandar uma pessoa enfiar um papel no c*, acho bastante autoritário e arbitrário, perigoso inclusive”, disse o também apresentador e humorista Fábio Porchat.

“Acho lamentável essa decisão. É uma pena que a Justiça legisle sobre a honra. Não acredito que ofensa seja crime nem que dê para legislar sobre o que ofende ou fere a honra de alguém ou não.”, completou Gregório Duvivier, que apresenta o Greg News, da HBO.

Já Marcelo Madureira, do Casseta e Planeta, foi além: “Essa questão da injúria é relativa. Você pode dar bom dia para mim e eu interpretar como sendo algo irônico, querendo me sacanear”.

Os fãs também saíram em defesa de Gentili. “Esconder dinheiro na cueca não dá cadeia, desviar verba pública não dá cadeia, roubar dinheiro dos aposentados (fundos de pensão) não dá cadeia, acumular 15 processos por corrupção no supremo tribunal Federal não dá cadeia, mas fazer piadinha com petista dá?”, questionou um admirador.

 

Nova condenação

 

Já nesta sexta-feira (12), foi divulgada uma nova derrota de Gentili nos tribunais. Desta vez, ele foi condenado a indenizar o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL) em R$ 20 mil por conta de ofensas feitas em sua conta de Twitter.