Contra os crimes virtuais: deputado Luis Miranda explica o projeto de CPI que ele encabeça

Nos últimos dias, diversos sites vêm repercutindo uma suposta CPI das Redes Sociais, que estaria sendo encabeçada pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), para manipular as redes sociais. Mas essa é uma Fake News, justamente algo que deve ser combatido com o projeto.

O repórter investigativo Thathyanno Desa apurou o caso. Ele entrou em contato com o deputado, que forneceu um vídeo explicando o fato e mostrando que a notícia que circula em muitos sites e também em grupos de WhatsApp, é falsa.

“Estão tentando fazer com que a direita brigue com a direita por causa da CPI das Redes Sociais. Na verdade, o nome dela é CPI dos Crimes Cibernéticos, os crimes da internet que ocorrem todos os dias, e causaram aquela barbaridade em Suzano e muitos outros, e tem um adendo que tem a ver com redes sociais no documento, que é solicitando explicação das empresas, porque elas removeram as páginas de direita e manipularam só resultados das informações postadas pela massa, pela grande direita, que são os ativistas que precisam continuar tendo voz, continuar defendendo o povo brasileiro e ninguém pode calá-los. É isso que é a CPI. Engraçado como colocaram o contrário. Não caiam nessa”, explicou Miranda.

O texto original da CPI é o seguinte:

Requerem a criação de Comissão Parlamentar de Inquérito, composta por vinte e três Deputados titulares e igual número de suplentes, para, no prazo de 120 (cento e vinte) dias, investigar o vazamento de informações pessoais constantes dos bancos de dados das empresas donas ou mantenedoras de redes sociais, o não cumprimento de ordens judiciais exaradas pela justiça brasileira e decisões de suspensão e congelamento de contas sem justificativas, bem como os meios e motivos para casos de promoção de conteúdo.

Para acessar o texto completo, basta clicar aqui.

Confira abaixo o vídeo enviado ao Brazilian Globe: