Associação francesa acolhe brasileiros que queiram sair do país

O Instituto de Estudos Superiores da América Latina lançou na sexta-feira (18), em Paris, uma rede internacional de ajuda a estudantes, artistas ou intelectuais que se sintam ameaçados nas suas profissões ou já tenham sido alvo de algum tipo de violência ou discriminação no Brasil de Jair Bolsonaro.

“Acabou, foi uma ruptura e é hora de viver o luto desta Nova República. Somos o único grande país da América Latina que elegeu através do voto direto um governo militarista de extrema direita. Isso é inédito no continente. (…) Tudo o que vier [no Brasil] a partir de agora não terá conexão com o que quer que seja que tenhamos vivido no passado. Mas não podemos deixar que acabem com a imaginação política do Brasil”, afirmou Safatle ao Expresso.

Segundo o jornal português Expresso, a iniciativa deverá também criar em breve um canal YouTube para comentar notícias brasileiras, “um tipo de mídia acessível ao grande público” para “continuar a mobilizar a opinião na França e outros países da Europa, e para manter nossa presença na imprensa francesa”, afirmou Juliette Dumont, uma das organizadoras da rede de solidariedade.