Rio de Janeiro: Militar do Exército é morto em operação das Forças Armadas na Zona Norte

Um militar do Exército morreu e outro ficou ferido durante a megaoperação deflagrada pelo Comando Conjunto da Intervenção Federal, em apoio à Secretaria Estadual de Segurança, nos complexos do Alemão, Maré e Penha, na Zona Norte do Rio, nesta segunda-feira. O cabo Fabiano de Oliveira Santos foi ferido no ombro e não resistiu, enquanto o soldado Marcus Vinicius sofreu um ferimento na perna e seu estado é estável. Outras cinco pessoas foram mortas na Penha e 36 suspeitos foram presos na ação.

 

Segundo Luciano Marcolino, primo de Fabiano, uma equipe do Exército foi a Engenheiro Pedreira, em Japeri, na Baixada Fluminense, na casa do militar e está dando toda assistência à família da vítima. Ainda de acordo com ele, o Exército vai custear todas as despesas de velório e enterro. Fabiano era separado de deixa uma filha de 3 anos.

“Tá sendo muito difícil. Ele era uma pessoa muito querida, amava essa farda e entregou sua vida em prol de uma melhoria do estado. Era um pai zeloso, muito cuidadoso com a menina. A mãe do Fabiano está inconsolável e está sem chão. Ele filho único, era o xodó dela e a minha tia fazia de tudo por ele. A gente não tem palavras pra consola-lá. Ficamos muito triste em ver que as autoridades, ao invés de dar a vida pelo Brasil, estão entregando para os bandidos”, disse Luciano. De acordo com as Forças Armadas, os trabalhos realizados nas comunidades estão no contexto das medidas implementadas pela Intervenção Federal na Segurança Pública. São realizados, entre outros precedimentos, o cerco, a estabilização das áreas e a remoção de barricadas. Até as 17h30, foram apreendidos 24 armamentos, 828 munições, seis carregadores, 430kg de maconha em tablete, três veículos, um colete balístico, 4.646 revistas em carros e pessoas e duas barricadas retiradas. Em represália a operação dos militares, bandidos incendiaram um ônibus na Linha Amarela no fim da manhã desta segunda. Segundo o coronel Carlos Frederico Gomes Cinelli, porta-voz do Comando Militar do Leste, o ataque aconteceu a mando de bandidos, com o objetivo de atrapalhar as ações dos militares.