Singapura: Kim Jong-un se compromete com desnuclearização após encontro com Trump

Pela primeira vez na história, líderes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte se encontraram pessoalmente para tentar chegar a um consenso sobre o desmonte do programa nuclear e balístico da fechada ditadura comunista, em troca de alívio econômico para o país hoje afetado por duras sanções. O esperado e histórico encontro de Donald Trump e Kim Jong-un aconteceu na manhã de terça-feira (12, horário local), em Singapura.

 

“Quero agradecer ao general Kim pelo primeiro passo para o melhor futuro das pessoas do seu país”, disse Donald Trump, num discurso que abriu a conferência de imprensa que decorre em Singapura. “O encontro foi honesto, direto e produtivo”, acrescentou o presidente dos EUA.

“É um grande dia para a história mundial”, acrescentou Donald Trump, fazendo uma vénia aos aliados asiáticos. “Quero agradecer a Singapura que tornou esta visita tão importante e agradável. Quero agradecer ao presidente Moon, da Coreia do Sul. Ao presidente do Japão e também ao presidente da China, um grande líder e um amigo”, disse.

Sanções continuam

“Estamos preparados para construir uma nova História”, disse Trump. Recordando que “muitas pessoas morreram nos conflitos na Península coreana”, o presidente dos EUA assentiu que “o passado não pode definir o futuro”, mostrando confiança em Kim Jong-un. “Sei que assim que chegar à Coreia vai continuar a trabalhar pela paz”.

Apesar das sanções, que “vão permanecer”, Trump considera que “não há limite para o que a Coreia do Norte pode atingir”.

“A paz vale sempre a pena. Isto deveria ter sido resolvido há muito tempo”, disse Trump. “Qualquer pessoa poder criar guerra, mas só os corajosos podem construir a paz”, acrescentou.

“Temos 32 mil soldados na Coreia do Sul e eu quero trazê-los para casa. Não acredito que seja possível fazer isso agora, mas quero terminar com os jogos de guerra”, desabafou Donald Trump.

O documento assinado por Trump e Kim possui quatro pontos:

  • EUA e Coreia do Norte se comprometem a estabelecer relações de acordo com o desejo de seus povos pela paz e prosperidade;
  • Os dois países irão unir seus esforços para construir um regime de paz estável e duradouro na península coreana;
  • Reafirmando a Declaração de Panmunjon, de 27 de abril de 2018, a Coreia do Norte se compromete a trabalhar em direção à completa desnuclearização da península coreana;
  • Os EUA e a Coreia do Norte se comprometem a recuperar os restos mortais de prisioneiros de guerra, incluindo a imediata repatriação daqueles já identificados.