O plano que faltava na comunidade Brasileira

Ana Paula Santana (Paula), moradora da região de Beverly, MA, disse ter havido um milagre em sua vida há alguns meses atrás. Em setembro de 2016, Paula perdeu Rodrigo, o seu marido, e sem condições financeiras para bancar os serviços funerários e o transporte do corpo para o Brasil decidiu arrecadar fundos através do website gofundme.

Sem conseguir arrecadar dinheiro suficiente, Paula ficou sem saber o que fazer. Foi então que aconteceu o milagre.

Ao saber da situação de Paula, a PADREF, uma empresa que presta serviços de assessoria em repatriação funerária aos brasileiros que vivem nos EUA, decidiu cuidar do processo de repatriação do Rodrigo. Segundo Paula, sem a ajuda da PADREF o corpo de Rodrigo nunca chegaria ao Brasil para ser visto pela última vez pela maior parte dos seus familiares e amigos e provavelmente seria cremado ou enterrado aqui como indigente.

A PADREF, fundada por dois empreendedores brasileiros em 2016 e localizada em Boston, oferece planos funerários que permitem os brasileiros que vivem nos EUA a planejar os momentos iniciais após o final de suas vidas por menos de $1 por dia. O objetivo dos planos PADREF é promover a tranquilidade dos familiares daqueles que morrem. Independente da situação imigratória, todo brasileiro nos EUA tem acesso aos planos PADREF.

“Quando o falecimento acontece, os familiares não querem e não estão preparados para lidar com o complexo processo funerário”, explica Paula. Esse processo se torna ainda mais complexo quando o traslado internacional é adicionado, como no caso de Paula.

Os diversos planos PADREF que cobrem famílias com até 7 passoas, incluem todas as etapas do processo funerário e o transporte do corpo para o Brasil. Digamos que  haja  o falecimento  de  uma pessoa coberta por um plano. A família reporta o óbito à PADREF que a acolhe e  instrui sobre  como  será  todo  o  procedimento  desde  a preparação  do copro  para  o  velório  até o sepultamento  ou a cremação,  incluindo  o pagamento das taxas consulares, a urna funerária (caixão), o velório, a ornamentação do caixão com enfeites florais e véu e o traslado do corpo.

“Normalmente, os brasileiros nos EUA não se preparam para a morte aqui.”, afirma Tiago Prado, um dos fundadores da PADREF. A prevenção é essencial na superação de situações difíceis, e em relação à morte, não é diferente. Não existem bons motivos para deixar a família tomar as decisões funerárias após o falecimento.

Julio Morais, um líder da comunidade brasileira de Everett diz que a PADREF trouxe a solução para um grande problema. “Ninguém pensa que vai morrer e ninguém nunca reserva dinheiro para o seu próprio enterro. Mas quando a morte acontece, os familiares se deparam com um processo caro e burocrático para enviar o corpo para o Brasil e ter uma cerimônia digna.”, afirma Julio. Durante anos, Julio foi a primeira parada para muitas pessoas tentando arrecadar dinheiro para enviar o corpo de um familiar ou amigo falecido para o Brasil. Ele ajudou a promover diversos eventos na tentativa de levantar fundos para cobrir s custos funerários e de transporte.

A PADREF se esforça para educar os brasileiros sobre a importância de ter uma plano funerário e faz o que pode para ajudar aqueles que realmente precisam. Atualmente, ela está auxiliando a família do jovem Jefferson, que morreu na tentiva de atravessar a fronteira do México com os EUA no início desse mês. Sem saber como enviar o corpo de Jefferson de volta para Sobrália – MG, a família conta com apoio da PADREF para poder realizar um sepultamento digno perto daqueles que o amavam.

“É uma solução para um problema muito grande: Ninguém pensa que vai morrer e ninguém nunca economiza para um enterro”, disse Anderson Silva, líder cívico e Pastor da Igreja Agape dos Brasileiros em East Boston’. Ele acompanhou recentemente o trabalho da Padref na sua comunidade.

Mas informações visite o site www.padref.com ou ligue para 1-844-972-3733

Leave a Comment